Pessoas que voltaram a engordar após a realização da cirurgia bariátrica podem contar com um método menos invasivo para voltar a perder peso: a coagulação com plasma de argônio por endoscopia foi apresentada durante a

XI Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, em novembro de 2012, e desde então vem sendo aprimorada.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica estima que, nos últimos dez anos, mais de 400 mil brasileiros foram submetidos à cirurgia bariátrica para perda de peso. Infelizmente, mais de 10% dessas pessoas voltam a engordar com o passar do tempo, e uma das principais causas é a anastomose (sutura, emenda do estômago com o intestino) com tamanho dilatado.

Em vários países, essas pessoas estão sendo tratadas com a coagulação com plasma de argônio, que é uma tecnologia nova que provoca a cauterização do tecido e posteriormente uma retração na sua cicatrização, diminuindo assim o diâmetro da anastomose e retomando a perda de peso.

Os resultados são bons, no entanto, o tratamento somente é indicado após uma consulta médica especializada e avaliação por endoscopia de cada caso.

O procedimento é realizado na própria clínica  durante uma endoscopia digestiva alta. A duração varia entre 15 e 30 minutos, e o paciente tem alta no mesmo dia, logo após o procedimento. Na maioria dos casos, são necessárias três aplicações com intervalo de seis a oito semanas.

Esse método é muito seguro e considerado minimamente invasivo. As complicações são extremamente raras, sendo que a mais comum é a dor abdominal de intensidade leve a moderada, que desaparece logo após os primeiros dias.

A aplicação do plasma de argônio, associada a uma dieta equilibrada, exercícios físicos e tratamento das desordens psicológicas, pode levar o paciente a retomar o emagrecimento, melhorar sua qualidade de vida e diminuir o risco das doenças decorrentes do excesso de peso.