Um das causas mais comum para dor no estômago é a gastroenterite, também conhecida como “infecção intestinal” ou “intoxicação alimentar”, que é uma inflamação no estômago e nos intestinos – principalmente na porção inicial do intestino delgado. É muito comum essa intoxicação resultar em diarreia, o que exige cuidados com a alimentação.

Causas mais comuns da gastroenterite:

-infecção por bactérias
(Salmonella enteriditis, Escherichia coli, Staphylococcus aureus etc.);

– contaminação por vírus (adenovírus, calicivírus, norovírus e rotavírus, por exemplo);

– parasitoses (platelmintos, nematelmintos e protozoários, principalmente);

– intolerâncias (à lactose é bastante comum);

– alergias alimentares (a corantes, proteína do leite, ovo, oleaginosas e crustáceos são mais recorrentes).

 

Entre os sintomas mais comuns da gastroenterite estão: náuseas, vômitos, diarreia e a famosa dor no estômago, que costuma persistir por alguns dias mesmo após o tratamento. Acontece que a doença agride a mucosa, deixando o estômago mais sensível por alguns dias.

Os tratamentos para a aliviar a dor de estômago podem incluir antibiótico ou outro medicamento prescritos pelo médico, mas, normalmente, o mais indicado é uma dieta leve e a ingestão de soro caseiro e água pura, para evitar a desidratação – principal complicação da gripe estomacal.

 

Alguns alimentos indicados para aliviar a intoxicação alimentar

A indicação em casos de gastroenterite é que se evite ingerir alimentos ricos em fibra, gordura e açúcares, ultraprocessados e refinados durante e até 10 a 15 dias após a doença, pois o estômago fica debilitado e a digestão, deficiente. Os alimentos devem ser consumidos em pequenas porções, e a ingestão de água é muito importante, assim como bebidas isotônicas para repor a perda de eletrólitos e de glicose.

Estudos do Centro Médico Hershey da Universidade Penn State recomendam a dieta BRAT (banana, rice, applesauce and toast, em inglês. Em português – BAPMT – banana, arroz branco, purê de maçã e torrada – BAPMT), pois é composta por alimentos facilmente digeridos e altamente tolerados. Alguns alimentos são permitidos para variar a BRAT e garantir o aporte de potássio, fundamental para quem está com diarreia: batata cozida com casca, frutas, pera e ervilha ou lentilha cozida. Essa dieta é pobre em nutrientes, por isso, não deve ser mantida por longo período.

Gengibre e açafrão-da-terra (também chamado de cúrcuma) têm propriedades anti-inflamatórias e são bons auxiliares no tratamento da dor de estômago. Já o uso de alimentos probióticos deve ser avaliado, pois, mesmo sendo inofensivo e bastante eficiente para a maioria das pessoas, auxiliando na recuperação da flora intestinal e estimulando a resposta imunológica, pode causar disbiose (desequilíbrio na biota intestinal). Desse modo, se não houver indicação médica, evite o consumo ou prefira os probióticos liofilizados aos naturais (como kefir e kombucha).

 

Atenção aos sintomas e à duração das gastroenterite

Embora inofensiva, na maior parte dos casos, a gastroenterite pode causar desidratação, que requer atenção especial principalmente em crianças e idosos. Vômitos, náuseas, diarreia, calafrios, dores agudas e febre baixa são sintomas comuns, mas que devem inspiram atenção se durarem mais de cinco dias, pois podem significar outras doenças.

Se você apresentar um ou mais sintomas listados a seguir, busque ajuda médica imediatamente:

– desidratação (boca seca, diminuição da micção – vontade de urinar; urina escura e tontura);

– diarreia intensa por mais de 48 horas (adultos) ou mais que 24 horas (crianças);

– vômitos prolongados que impeçam a administração de líquidos;

– febre alta (maior que 38 ºC);

fezes com sangue ou pus;

– fezes pretas ou muito escuras.

intoxicação alimentar