Project Description

Exames de Otorrinolaringologia

1. Nasofibroscopia rígida e flexível: Exame realizado, tanto em adultos quanto em crianças colaborativas, com fibra ótica que avalia toda a cavidade nasal, seios da face, septo nasal e região do cavum. Indicado na investigação de rinite, rinossinusite, roncos noturnos, adenoides, desvio septal e obstrução nasal de qualquer caráter.

2. Vídeo-Laringoscopia rígida e flexível: Exame realizado, tanto em adultos quanto em crianças colaborativas, com fibra ótica que avalia toda a cavidade da orofaringe, laringe e pregas vocais. Indicado na investigação de dores de garganta, rouquidão, tosse e alterações na deglutição.

3. Vectoeletronistagmografia Computadorizada: Avalia motricidade ocular voluntária e reflexa, verificando a existência ou não de comprometimento vestibular, o lado afetado e o tipo da lesão (periférico ou central); (NERVO VESTIBULAR SUPERIOR).

4. (Vídeo-Frenzel) Videonistagmoscopia infravermelha: Pesquisa o nistagmo de posicionamento monitorado por videoscopia.

5. (VEMP) Potencial Miogênico Evocado Vestibular Cervical e Ocular: Exame fundamental para avaliar o reflexo sáculo-cólico (NERVO VESTIBULAR INFERIOR) e utrículo-ocular (NERVO VESTIBULAR SUPERIOR).

6. (BERA-PEATE) Potencial Evocado Auditivo do Tronco Encefálico para diagnóstico: Avalia funcionamento coclear, neural e de tronco encefálico.

7. (ECoG) Eletrococleografia: Avalia funcionamento da cóclea, indica sinais de hidropisia endolinfática, complementar ao BERA-PEATE.

8. (P300) Potencial Auditivo Cognitivo: avalia as áreas auditivas cerebrais relacionadas com a capacidade de aprendizado (função cognitiva), memorização e atenção. É muito usado em alunos com distúrbios de aprendizagem, idosos com demências e pacientes com dificuldade de entender a fala.

9. Emissões Otoacústicas transientes e por produto de distorção: Testa a função coclear através da captação da energia mecânica produzida pelo trabalho das células sensoriais na condução do som no sistema auditivo. Pode ser realizado em qualquer idade para complementação de alterações auditivas assim como deve ser realizado nos bebês nos primeiros dias de vida como Triagem Auditiva Neonatal (Teste da Orelhinha) na detecção precoce de alterações auditivas.

10. Potencial Auditivo do Tronco Encefálico para limiar (BERA-PEATE): avalia a integridade funcional das vias auditivas nervosas (nervo auditivo) desde a orelha interna até o córtex cerebral. Indicado nos casos de zumbido, em algumas labirintopatias e nas deficiências auditivas em que a audiometria apresenta limitações diagnósticas.

11. Audiometria Tonal Limiar: Mede a audição periférica através da intensidade mais fraca necessária para detectar os sons ouvidos em cada frequência testada.

12. Audiometria Vocal (SRT, IPRF): Avalia a intensidade mais fraca possível para detectar a fala e entender sílabas.

13. Impedanciometria (Imitanciometria): Avalia o sistema tímpano-ossicular, medindo a pressão do ar da orelha média e os níveis em que ocorrem os reflexos estapedianos.

14. Exame dos Pares Cranianos: Anamnese e exame físico do paciente que faz exame do labirinto e conexões.

15. Terapia de Reabilitação Coclear (TRV): Terapia realizada através de exercícios físicos, manobras específicas e funcionais para estimulação do sistema vestibular, principalmente na VPPB, realizado por fisioterapeuta especializado em doenças labirínticas e neurológicas. Em média, o profissional necessita de 2 a 3 sessões para total melhora do quadro labiríntico.