A obesidade é uma doença crescente em países de primeiro mundo ou em desenvolvimento. Ela vem tomando proporções de epidemia, tornando-se um dos principais problemas atuais da saúde pública. O tratamento para pacientes com sobrepeso ou obesos deve visar à melhora clínica, o bem-estar, e os indicadores metabólicos de saúde, a fim de diminuir o risco de doenças associadas ao excesso de peso. Entre as opções está o balão intragástrico.

A questão estética é a que mais leva pacientes a buscarem ajuda médica para perder peso, principalmente quando métodos convencionais, como dietas, prática de exercícios físicos e medicamentos não surtem o efeito desejado. Para estes, há, atualmente, diversas abordagens – cirúrgicas ou não – que facilitam a perda de peso, auxiliando no emagrecimento duradouro. Todas essas técnicas partem da diminuição da cavidade gástrica como fator determinante para proporcionar a perda de peso. Entre elas, citamos o balão intragástrico, método não-cirúrgico que vem apresentando resultados consistentes e animadores.

 

O QUE É O BALÃO INTRAGÁSTRICO E COMO ELE AGE CONTRA A OBESIDADE?

O Balão Intragástrico foi desenvolvido para ser um método temporário cujo primeiro objetivo é tratar pacientes que estão 40% acima do peso ideal, que tenham apresentado respostas não satisfatórias a tratamentos clínicos prévios. Também pode ser usado por pessoas com obesidade mórbida e alto risco cirúrgico, que precisam perder peso para estarem aptos a realizarem a cirurgia bariátrica.

Essa técnica reduz capacidade de reserva gástrica (o volume do balão é calculado para cada paciente), dando uma sensação prematura de saciedade, fazendo com que haja a ingestão de quantidades menores de alimento. Por ser um auxiliar do processo de emagrecimento, o balão, por si só, não garante perda de peso, mas é extremamente eficiente quando combinado a mudanças de hábitos alimentares, uma dieta de baixa caloria, e a uma rotina de exercícios físicos. Algumas vezes, o acompanhamento psicológico também se faz necessário. Ou seja, é importante tratar o emagrecimento de maneira multidisciplinar para garantir a manutenção dos resultados.

O balão intragástrico é indicado para pacientes com IMC (Índice de Massa Corporal) maior que 27 kg/ m2, que desejam melhorar a saúde, ou como preparo pré-operatório para pacientes superobesos que apresentem alto risco cirúrgico. A colocação e retirada do balão intragástrico são realizadas com procedimento endoscópico de duração média de 40 a 60 minutos. O paciente recebe alta no mesmo dia.

 

PESQUISAS MOSTRAM OS RESULTADOS DO BALÃO INTRAGÁSTRICO

Brazilian multicentric study of the intragastric balloon, uma pesquisa (realizada por Sallet J. A. et al.) com 573 pacientes portadores de sobrepeso submetidos ao tratamento com Balão Intragástrico associado a uma dieta de 1000 kcal/dia e acompanhamento multidisciplinar (preparadores físicos, nutricionistas, endocrinologistas e psicólogos) trouxe ótimos resultados acerca da sua eficiência.

Após seis meses de tratamento, os pacientes apresentaram, em média, perda de 48% do excesso de peso inicial e uma redução de 5,3 de IMC. Esses resultados corroboram com dados obtidos em outros estudos similares. Cerca de 40% dos pacientes apresentaram enjoos e êmese (vômito) nos primeiros três dias após a colocação, sintomas esperados e aceitáveis, que podem ser controlados com antieméticos e antiespasmódicos.

E o mais importante: o monitoramento desses pacientes por um e dois anos após retirada do balão intragástrico apresentou resultados de quatro a cinco vezes mais eficientes e satisfatórios quando comparados aos submetidos a tratamento clínico conservador clássico.

A maior eficácia do tratamento foi relatada quando houve adesão de equipes multidisciplinares especializadas. Esses profissionais elaboram planos alimentares adequados, rotinas de atividades físicas individualizadas e mudanças comportamentais.

São inúmeras as evidências que definem a eficácia do tratamento, que, mais que benefícios estéticos, garantem perdas de peso que geram relevantes ganhos para a saúde. Perdas de peso entre 5% a 10% são capazes de diminuir a pressão arterial, melhorar o perfil das lipoproteínas, reduzir o número de apneias e hipopneias do sono e controlar o diabetes.

Ou seja, estudos dessa natureza comprovam que o tratamento com balão intragástrico é bastante eficiente como auxiliar no tratamento do sobrepeso e da obesidade, tanto pela indução de uma perda média de 45% do excesso de peso inicial, pela mudança do perfil alimentar e da qualidade de vida do paciente, diminuindo o risco de complicações maiores, quando utilizada como pré-operatório, e de doenças associadas.

 

*Referências: Biblioteca Virtual em Saúde – Ministério da Saúde; ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica); Sallet J. A., Marchesini J. B., Paiva DS, et al. Brazilian multicentric study of the intragastric balloon. Obes Surg 2004;14:991-4.

 

balão intragástrico