O Dia Mundial da Saúde 2017 (7 de abril) traz à tona a discussões sobre a depressão, transtorno que afeta tanto as pessoas doentes quanto seus familiares e amigos. O tema deste ano foi escolhido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para alertar a população sobre a importância de se diagnosticar essa doença, que se apresenta de diferentes formas, a qual tem sintomas que podem ser confundidos com uma simples dor no estômago ou dor de cabeça, ou, até mesmo, tristeza. Por isso, o lema da campanha é Let’s talk! (em português, “Vamos conversar!”) e reforça a importância do diálogo tanto para diagnosticar quanto para tratar a depressão.

amro-clinic

Em torno de 350 milhões de pessoas – de todas as idades – no mundo todo apresentam depressão em algum grau. Esse número inspira cuidados, pois, embora silenciosa na maioria dos casos, esse transtorno é responsável por muitas doenças associadas e aumenta o risco de suicídio.

 

Sintomas

A depressão pode apresentar episódios leves, moderados ou graves. Uma pessoa pode sofrer de depressão leve por muitos anos, sem que o transtorno evolua e se agrave. Por ser uma doença resultante da interação de diversos fatores (sociais, biológicos e psicológicos), com muitas nuances, o diagnóstico exige uma observação complexa dos eventos relacionados ao transtorno e a recorrência desses eventos.

Entre os sintomas mais comuns, é possível citar: ansiedade; alteração no apetite; excesso de sono ou insônia; sentimentos de culpa; baixa autoestima; déficit de atenção e dificuldade de concentração; alterações constantes de humor; longos períodos de tristeza sem motivo aparente.

 

Depressão e doenças tratadas pela gastroenterologia

Como dissemos, a depressão é um transtorno que pode afetar o organismo de diversas maneiras, podendo causar doenças de demandam atenção e cuidados especiais. O sistema digestório sofre, particularmente com as crises de ansiedade e estresse, além de ser afetado por medicamentos e alterações de hábitos alimentares.

Algumas doenças do aparelho digestivo associadas à depressão são:

 

Dispepsia funcional: Embora seja uma condição benigna, a famosa “indigestão” ou gastrite nervosa pode ser especialmente incômoda quando em episódios recorrentes e de longa duração.

 

Síndrome do Intestino Irritável: Trata-se de uma condição crônica que prejudica o correto funcionamento do intestino. Provoca dor abdominais, flatulência, diarreia e/ou períodos de constipação.

 

Distúrbios da imagem corporal e transtornos alimentares: Entre os diversos transtornos, a bulimia e a anorexia são que afetam mais pessoas, principalmente mulheres adolescentes e jovens adultas. Esses distúrbios graves e que apresentam considerável taxa de óbito podem ser desencadeados ou agravados pela depressão.

 

Tratamentos

Para um tratamento eficiente, é preciso “mapear” a depressão e individualizar as ações. Dependendo do grau do transtorno, terapias e medicamentos associados podem ser indicados.

Casos mais leves costumam ser tratados com terapias e tratamentos psicossociais. Depressões moderadas a graves, muitas vezes, necessitam do uso de antidepressivos – há diversas drogas disponíveis no mercado e seu uso deve ser prescrito e acompanhado por um médico – aliado a terapias cognitivo-comportamental e psicoterapia.

 

diadasaude-selo